pessoal

Carros e tal

[2002-2004] Renault Super 5 GTR – “O Primeiro”

Adquirido em centésima-quinta mão – morreu às mãos da CM Amadora que o esmagou sem apelo nem agravo. (foto de carro idêntico)

[2005-2005] Fiat Uno 45 (sem S) – “O indesejado”

Adquirido por €300 para substituir o RS5… desde sempre indesejado. Travava só quando lhe apetecia. Vendido no mesmo estado em que foi comprado. (foto de carro idêntico)

[2006-2008] Renault Clio 1 Mk1 GPL – “Fénix”

Primeiro carro GPL, foi reparado por erro e acabou já noutras mão como viatura para abate. (foto de carro idêntico)

 

[2008-2012] Renault Clio II Fase 1 GPL – “Miffy – A Vítima”

Ao contrário do que as imagens sugerem, este está vivo e de boa saúde. Sofreu tudo o que havia para sofrer.

[2012-]

 

Depois da vítima, o escolhido foi um Mégane II Break. Vamos a ver como se porta e se é melhor tratado que os anteriores…

PT/Meo Fail (Parte 2)

Capítulo III

Meio dia do dia seguinte, telefona-me um senhor engenheiro da PT para marcar a deslocação para essa parte da tarde – recusei (estava no trabalho) e acabou por ficar marcada para as 20:00.
20:00 … 20:30 … 20:50 decido ligar para a PT (para o número gratuito), como sempre a máquina informa-me que não tenho processo de avaria aberto, escolho a opção de abrir um novo processo.
Desta vez tive sorte e a pessoa que me atendeu percebeu que apesar de ser cliente Meo me deveria tentar resolver a situação.
Este operador não conseguiu comunicar com a “equipa” que devia ter aparecido em minha casa, mas fica de me ligar mais tarde para tentar corrigir a situação caso a “equipa não apareça”.
21.30 telefona-me a “equipa” – que afinal é só uma pessoa – a pedir desculpa pelo atraso e que virá o mais depressa possível para minha casa.
22.00 telefona-me novamente a pedir indicações (normal, a minha casa está num labirinto) e a confirmar se o meu problema é, tal como indicado na folha de serviços dele, com a box (!!!)
22.20 finalmente chega e corrige a situação de forma simpática e breve – troca me o router por um novo modelo, verifica os valores da linha – a situação fica aparentemente resolvida.
Mal o técnico saiu… apercebi-me que não tinham sido reactivados os canais HD – mais uma chamada (paga – desta vez teria de ser mesmo para a linha de televisão e internet) e a situação fica resolvida em menos de 15 minutos.
Hoje de manhã fui novamente contactado pela PT – para tratar de dois assuntos :
- saber se a situação estava resolvida
- outro assunto – que não cheguei a saber, porque…
A chamada caiu e não me ligaram de volta.
Entretanto recebi um email de alguém da PT por causa do post anterior no blog, a tentar entender o que se está a passar…

Conclusões :
- É completamente ridículo o apoio técnico da PT ser pago
- É injustificável que sendo pago não tenho um valor fixo por chamada
- Não faz sentido que quando a comunicação falhe a PT reverta para o modo “se não nos disser mais nada está tudo OK”
- Não faz sentido não existir uma linha gratuita para dar continuidade a processos abertos
- É inqualificável a má educação e atitude de “despachar” de alguns dos operadores que em vez de se oferecerem para ajudar, passam ao outro e não ao mesmo.

(Continua…?)

Este post é uma continuação de “PT/Meo Fail

PT/Meo Fail

Capítulo I

Há cerca de um mês que tenho tido problemas com o “meu Meo” – Internet lenta (por vezes mesmo parada).
Acabei por me chatear e ligar para a linha de apoio a clientes – 1ª Surpresa – o apoio técnico relativo a Internet e Televisão passou a pago!
Depois de vários minutos em espera, seguidos de mais uma dúzia deles (todos bem pagos…) de “diagnóstico”, não acharam nada de errado com o meu serviço, mas prometerem investigar mais aprofundadamente, tendo-me informado que seria contactado nas próximas 48 horas.
Cerca de 24 horas depois a PT, simpaticamente, deu-me um toque para o telemóvel – sim, um toque – completamente impossível de atender. E mais tarde, já eu estava em casa, repetiram o mesmo para o telefone de casa – tocou 5 segundos e parou.
No dia seguinte recebi uma SMS que me informava que tinham tentado entrar em contacto comigo e que eu não atendera (!!!) e que portanto davam o caso como solucionado – se pretendesse mais alguma coisa deveria ligar-lhes (para o tal número pago).

Capítulo II

Domingo à noite, ligo a televisão, faço algum zapping, e, minutos depois o serviço fica em preto, verifico e não tenho Internet – o modem tinha perdido o sincronismo.
Decido ligar novamente (ou finalmente) para o atendimento a cliente (a pagar…) – fazem alguns testes, e acabam por diminuir a velocidade de sincronismo de forma a ter um “serviço mínimo” (estou com cerca de 4M e apenas canais SD), visto segundo eles a minha linha telefónica estar com problemas – e garantem-me que, dada a gravidade da situação serei contactado num prazo máximo de 24 horas para resolução do problema e deslocação de equipa técnica da PT.
Passadas 24 horas decido ligar para o atendimento a cliente, mas, tendo em conta que acho que a PT tem dinheiro suficiente para me telefonar, ligo para o atendimento gratuito – o que apenas diz respeito a avarias telefónicas – escolhendo a opção “dar seguimento a avaria” o sistema automático informa-me que não tenho avarias – decido então escolher a opção nova avaria para poder explicar o meu caso.
O primeiro operador que me atende recusa-se a verificar a situação, insistindo que teria de ligar para a tal linha paga – o que me recusei visto terem me informado que seria uma avaria do telefone (serviço coberto pela linha gratuita) e estando eu à espera que me liguem.
Depois de alguma insistência, acaba por me passar a um “responsável” que, qual autómato me garante que não pode aceitar a minha queixa e que terei de telefonar para a linha paga.
Irritado acabei por dizer que tendo em conta esta situação queria rescindir o contrato – quer por a linha de atendimento ter passado unilateralmente a paga, quer pelo (mau) atendimento.
O operador das desistências – que havia sido informado pelo anterior que eu pretendia uma diminuição da minha mensalidade por ter de pagar a linha de atendimento – acaba por ser o primeiro a verificar o processo e perceber que realmente era a PT que estava em falta.
Espero agora novo telefonema – tendo me sido dado em troca do meu penoso atendimento uma mensalidade gratuita.

Senhores do Meo/PT – o que eu quero não é uma mensalidade gratuita – quero o meu serviço a funcionar – e quando este não funciona (que 99% das vezes será culpa vossa), não quero ter de pagar a preço de ouro o suporte – ao menos (sim..mesmo no mínimo) que a chamada fosse de preço único e não cobrada ao minuto…

To be continued…

[Actualização : Continua em novo post]

O insustentável peso da burocracia (e a maçaneta desaparecida)

Por vezes vemo-nos envolvidos em teias de confusão que nos tiram um bocadinho da confiança que se tem na espécie humana… Assaltos, esquadras com processos caóticos, vizinhos non-sense… Mas, como não sou o melhor para explicar a situação que nos aconteceu desta vez… fica o linkhttp://rabujices.wordpress.com/2011/09/23/o-insustentavel-peso-da-burocracia.

Os vidros do carro nunca vamos recuperar… a maçaneta… só o futuro sabe !